Logística era um termo militar de origem francesa (do verbo loger: “alojar”) que significava “a arte de transportar, de abastecer e de alojar as tropas”. Depois disso, quando a Logística adentrou as organizações ela passou a ser conhecida como “a arte de transportar, abastecer e armazenas os produtos”.

Atualmente pode-se afirmar que a Logística trata de todas as atividades de movimentação e de armazenagem, as quais facilitam o fluxo de produtos (e/ou serviços) desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final.

Dessa forma, a Logística Empresarial tornou-se a responsável pela movimentação de produtos através da utilização de equipamentos, de mão-de-obra e de instalações adequadas. Alguns autores definem a Logística Empresarial como sendo uma soma de atividades que visam maximizar o resultado de uso de matérias, desde sua origem até sua oferta no ponto de vendas.

Para outros a Logística é o processo de planejar, implementar e controlar, de maneira eficiente, o fluxo e a armazenagem de produtos, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo sempre com o objetivo de atender aos requisitos do consumidor.

 

Antecedentes da Logística

A Logística tem sido uma preocupação constante no escoamento e na organização da produção e no Brasil a partir da segunda metade da década de 90 com a estabilização da economia nacional, as empresas conseguiram integrar suas atividades logísticas de forma eficaz.

E a partir desse período houve um interesse maior pelo tema, em função da competitividade da indústria nacional, principalmente com a abertura comercial – iniciada no governo Collor – e fortalecida pela valorização da moeda, com o Plano Real.

O tema Logística passou por uma evolução, a qual esta dividida em cinco (5) eras:

“Do Campo ao Mercado” – início no começo do século XX, quando a sua principal preocupação era com o escoamento da produção agrícola – principalmente o café.

“Funções Segmentadas” – de 1940 até início da década de 60, quando a Logística recebeu uma grande influência militar, em função da 2ª Guerra. Neste período a sua preocupação era com a movimentação de produtos, principalmente o armazenamento e o transporte de bens.

“Funções Integradas” – início da década de 60 até os primeiros anos da década de 70, quando agregou uma visão integrada, incluindo custo total das operações logísticas e a abordagem de sistemas. Nesse período seu foco foi ampliado para os transportes, a distribuição física dos produtos, o armazenamento, o estoque de produtos e o manuseio de materiais.

“Foco no Cliente” – início da década de 70 até metade dos anos 80, quando a Logística passou a ressaltar a produtividade e os custos dos estoques. Nesse período a Logística passou a ser ensinada nos cursos de Administração de Empresas.

“Logística Como Elemento Diferenciador” – Período atual, cuja globalização e a tecnologia da informação transformaram a Logística em um diferencial competitivo para as organizações.

 

Por: Reinaldo de Oliveira Nocchi

Reinaldo de Oliveira Nocchi possui graduação em Administração e pós-graduação em Administração Econômica e Financeira (Latu Sensu), pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (IMES). Possui pós-graduação (Strictu Sensu), em nível de mestrado, pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) - Faculdade de Ciências Agronômicas - Campus de Botucatu - SP. Atualmente desenvolve atividades voltadas ao ensino e pesquisa. Docente da Fatec Lins.